Santos e São Vicente | 6º ano

Os alunos do 6º ano tiveram a oportunidade de realizar um estudo do meio, que consistiu na visita às cidades de Santos e São Vicente, para contemplar fatos e conceitos abordados pelas áreas de Ciências, Geografia e História, tais como observação da Mata Atlântica, a relação entre a economia cafeeira e a construção do Porto de Santos, a Bolsa do Café e a realização do trabalho arqueológico. Conheça um pouco dos locais estudados:

 

Museu do Café: O edifício da Bolsa Oficial de Café foi construído para centralizar, organizar e controlar o mercado cafeeiro. Inaugurado em 1922, como parte das comemorações do centenário da Independência do Brasil, o prédio se tornou um dos maiores símbolos da riqueza produzida pelo café e até hoje é um dos cartões-postais mais conhecidos da cidade de Santos. Por meio da observação de imagens de época encontradas no interior do museu, os alunos conheceram aspectos do cotidiano da virada do século XIX para o XX, enriquecida pelas explicações oferecidas pelos monitores e professoras.

 

Porto de Santos: Inaugurado em 1892, o porto não parou de se expandir, atravessando todos os ciclos de crescimento econômico do país, aparecimento e desaparecimento de tipos de carga, até chegar ao período atual de amplo uso dos contêineres. Açúcar, café, laranja, algodão, adubo, carvão, trigo, sucos cítricos, soja, veículos, granéis líquidos diversos, em milhões de quilos, têm feito o cotidiano do porto, que já movimentou mais de um bilhão de toneladas de cargas diversas, desde a sua inauguração. Em 1980, com o término do período legal de concessão da exploração do porto pela Companhia Docas de Santos, o Governo Federal criou a Companhia Docas do Estado de São Paulo-Codesp, empresa de economia mista, de capital majoritário da União. Atualmente o Porto de Santos movimenta, por ano, mais de 60 milhões de toneladas de cargas diversas, número inimaginável em 1892, quando operou 125 mil toneladas. Com 12 km de cais, entre as duas margens do estuário de Santos, o porto entrou em nova fase de exploração, consequência da Lei 8.630/93, com arrendamento de áreas e instalações à iniciativa privada, mediante licitações públicas. Além da visita de barco feita pela orla do Porto, nas aulas de Produção Informatizada os alunos exploraram o ambiente virtual do Porto de Santos – o Porto Kids.

 

Sítio arqueológico Engenho dos Erasmo: O Monumento Nacional Ruínas Engenho São Jorge dos Erasmo – Base avançada de Pesquisa, Cultura e Extensão da USP – é um órgão da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão Universitária da Universidade de São Paulo, situado na divisa entre os municípios de Santos e São Vicente no estado de São Paulo. É um dos primeiros engenhos de açúcar do país e sua data de construção remonta a 1534. Doado à USP em 1958, desde 2004 desenvolve vários programas educacionais que buscam viabilizar o conhecimento a partir da interdisciplinaridade, em vista do contexto histórico, geográfico, arqueológico, social e ambiental em que as Ruínas estão inseridas. O Engenho é um polo de realização de múltiplas atividades profissionais e nele trabalham e se aperfeiçoam Historiadores, Filósofos, Arqueólogos, Geógrafos, Biólogos, Engenheiros, Arquitetos, Jornalistas e Educadores das mais diversas áreas.

 

Fabíola Albuquerque, Marcella Halcsik e Maria Rita Vieira,

professoras de Ciências, Geografia e História

Author

Alex Estevão

Profissional de comunicação especializado em gestão de marketing, direção de arte e design, fotografia, produção de conteúdo, planejamento e organização de eventos, gestão de marca, assessoria de imprensa e produção audiovisual.

Assine nossa newsletter