fbpx

Agosto começa com novos títulos na Biblioteca

O chamado do monstro

NESS, Patrick – Editora Ática

A escuridão, o vento, os gritos. Os olhos estatelados, a respiração entrecortada. É o pesadelo de novo, como em quase todas as noites depois que a mãe de Conor ficou doente. A escuridão, o vento, os gritos – e o despertar no mesmo ponto, antes de chegar ao fim. Tudo é tão aterrorizante que Conor não se mostra nem um pouco assombrado quando uma árvore próxima à sua casa – um imponente teixo – transforma-se em um monstro. Além disso, ele precisa lidar com coisas mais urgentes e graves – o reinício dos tratamentos contra o câncer aos quais sua mãe terá que se submeter, a vinda da avó para ‘ajudá-los’, a permanente ausência do pai desde que ele foi morar com a nova família e a pesada perseguição na escola, da qual é vítima quase todos os dias. Tudo muito mais perturbador do que uma criatura feita de folhas e galhos. Só que o monstro sabe que Conor esconde um segredo. E isso o torna realmente assustador. Mas por que Conor deveria dar ouvidos a algo que parece imaginado? Por que o monstro parece ser a única criatura a estar ao seu lado diante de seus maiores medos – o de perder a mãe e o de contar a verdade.

Galante: poesia e arte

PROTETI, João – Editora Cortez

“As portas estão abertas e aqui dentro estão os versos entre depressa” (Galante) Versos que convidam a uma viagem poética repleta de sinestesia, para expressar as diversas faces do amor.
 

Em busca da pirâmide de diamantes

LEAL, Marconi – Editora Cortez

Um jovem vive uma emocionante e acidentada aventura na Grécia, na Líbia, no Egito e na Síria para desvendar os segredos de um alquimista do século XVII e apoderar-se da Tétrada, a fabulosa pirâmide de diamantes. Nessa fantástica viagem, conhece pessoas misteriosas e excêntricas que farão qualquer coisa, inclusive matar, para conseguir a fantástica riqueza. No calor da perseguição, ele vai descobrir o amor.

Quero meu chapéu de volta

KLASSEN, Jon – Editora WMF Martins Fontes

O chapéu do urso sumiu. E o urso quer seu chapéu de volta. Interpelando os animais que encontra, ele acaba vendo seu chapéu vermelho e pontudo na cabeça do coelho e dá um jeito de recuperá-lo. Este livro acompanha a busca do urso, com ilustrações extremamente expressivas e pouquíssimas palavras.

 

Noah foge de casa

BOYNE, John – Editora Cia. das Letras

Noah tem oito anos e acha que a maneira mais fácil de lidar com seus problemas é não pensar neles. Quando se vê cara a cara com uma situação muito maior do que ele próprio, o menino simplesmente foge de casa, aventurando-se sozinho pela floresta desconhecida. Logo, Noah chega a uma loja mágica de brinquedos, com um dono bastante peculiar. Ele tem uma história para contar, cheia de aventuras e que termina com uma promessa quebrada; uma história que vai levar o fabricante de brinquedos a pensar sobre o seu passado e Noah a pensar sobre aquilo que deixou para trás.

Histórias arrepiantes de crianças-prodígio

QUILT, Linda – Editora Cia. das Letras

Os protagonistas deste livro não são crianças-prodígio como Mozart. Entretanto, suas vidas são prodigiosas porque estão em contradição com as leis da natureza. Melinda, por exemplo, cospe um sapo toda vez que conta uma mentira. Por essa razão, ela sempre precisa dizer a verdade – até para as tias gordas que comem tortas demais. O extremamente tímido Begon, por sua vez, percebe que as pessoas desaparecem quando ele diz seu próprio nome em voz alta. Com Norm, as coisas são bem diferentes. Ele é tão normal que ninguém nota a sua presença, nem mesmo seus pais, que às vezes se perguntam quem é aquele garoto em sua casa. A essas histórias se unem a de Orville O’Raghallaigh, um garoto incapaz de guardar qualquer coisa na memória; a da bebê A., irmã gêmea de B., que possui uma inteligência tão incomparável que desperta o interesse da comunidade científica; a de Wanda Wippleton, uma adorável preguiçosa que não faz nada além de dormir e ler; e a de Balthazar Bollinger, tão redondinho e leve que precisa usar sapatos de chumbo para não sair voando.

 

Iluminação trinitária em Santo Agostinho

AYOUB, Cristiane Negreiros Abbud – Editora Paulus

O livro de Cristiane Ayoub é uma contribuição aos estudos agostinianos, porque retoma a teoria da iluminação a partir de um novo horizonte de trabalho. Com roupagem nova, o estudo toma como base as análises trinitárias de Agostinho, alçando voos nomeadamente no campo da moral e da ontologia agostinianas. Mediante uma reconstrução paciente do itinerário percorrido pela obra, a importância da matriz trinitária acentua-se em momentos distintos e bem delimitados, porque apoia-se num texto sólido, sem a tradicional restrição ao campo da teoria do conhecimento. A publicação é composta de cinco partes, conclusão, ampla bibliografia e apêndices que complementam-na ainda mais.

 

Pai, não fui eu!

BRENMAN,Ilan – Editora Cia. das Letrinhas

A imaginação infantil pode ir longe – tão longe a ponto de fazer parte da própria realidade em que vivem os pequenos. Brincando com essa poderosa capacidade de inventar típica da infância, Ilan Brenman narra a história de um pai que, enquanto trabalhava tranquilamente no escritório de sua casa, ouve um estrondo. A filha dele, que presenciou o desastre, logo chega para dar explicações: o barulho foi por causa do livro italiano gigante – o preferido do pai – que, de repente, despencou da prateleira da estante. E quem o deixou cair foi o leopardo, que, ao ver a menina folheando o livrão, disse que adorava ler e se aproximou, mas acabou esbarrando nele e lá foi o livro gigante estante abaixo…

 

Formosuras do velho Chico

LALAU, LAURABEATRIZ – Editora Peirópolis

Quanta gente, quantos animais e quantas histórias vivem nas margens e nas águas do São Francisco? As belezas e mistérios desse rio tão grande, importante e maravilhoso encantam Lalau e Laurabeatriz. E, assim, o querido Velho Chico virou poesia e desenhos coloridos.

 

Dinos do BRASIL

ANELLI, Luiz E. – Editora Peirópolis

Quando pensamos em dinossauros, nossa imaginação voa longe, para um passado remoto, quando gigantes cheios de dentes com garras perigosas circulavam aos montes pela Terra. Sim, há mais de 200 milhões de anos eles viviam espalhados por todos os cantos do planeta, mas nem todos eram tão monstruosos quanto imaginamos. Assim como os répteis de hoje, eles podiam ser muito diferentes uns dos outros. Neste livro você vai saber como os paleontólogos descobriram as formas e os tamanhos dos 23 dinossauros brasileiros e conhecer as histórias que estão por trás dos seus nomes e fósseis. Agora, o mais intrigante de tudo é saber que eles ainda andam por aí. Dá pra acreditar?

 

Dica para Agosto:

Solange Braga
Bibliotecária

Assine nossa newsletter