fbpx

Minha quarentena

Nossa rotina mudou de repente e não fomos preparados para trabalhar em casa, para estudar de maneira remota, para lidar com as perdas, enfim… para tudo que envolve uma pandemia.  Os sentimentos se misturam, são ambivalentes… O que fazer? O que pensar? Expressar esses sentimentos de forma escrita foi a opção do aluno Henrique Magalhães Silva, 5º ano A. Mais do que uma forma de contar histórias, a escrita também pode ser um meio de buscar autoconhecimento e entender sentimentos. Experimente você também!

 

Minha quarentena

No começo da quarentena, eu achei legal, porque não tinha aula, fiquei mais tempo com a minha  família e não fiz lição de casa.

Mas… a covid19 (coronavírus) começou a matar muita gente, fiquei muito triste, porque eu não gosto de pessoas mortas.

Depois foi meu aniversário, meu pai fez um bolo muito bom de chocolate, meu pedido foi para que o corona fosse embora.

Em um jogo chamado brawl stars, eu fiz milhares de amigos, a gente fez call, chamada no meet e no zap.

Um dia, minha mãe me chamou para eu ver tv. Na televisão apareceu 100 mil mortos, chorei muito!

Meses depois, foi o aniversário da minha irmã, fiquei feliz, porque ela fez 4 aninhos.

Alguns meses passaram e eu já tinha aula on-line…

Daqui a 10 dias vai ser dia das crianças, falem para os seus filhos: Feliz dia das crianças!

Author

Alex Estevão

Profissional de comunicação especializado em gestão de marketing, direção de arte e design, fotografia, produção de conteúdo, planejamento e organização de eventos, gestão de marca, assessoria de imprensa e produção audiovisual.

Assine nossa newsletter