fbpx

90 anos CSA

Onde tudo começou

Em 1899, chegou em São Paulo um pequeno grupo de padres agostinianos vindos da Espanha. Ao buscarem um local apropriado para a construção de uma comunidade se fixaram na Igreja chamada Boa Morte e lá ampliaram suas ações em relação à comunidade, inaugurando assim o Colégio da Luz, nome do bairro onde ficava. Mas a distância da localidade do centro urbano, na época, e os altos impostos cobrados pelo Ministério da Educação e Saúde obrigaram os padres a entrega-lo e a procurarem outro terreno onde pudessem desenvolver sua missão.

O terreno encontrado então, em 1906, se localizava no Morro Vermelho, que era uma colina que dominava o Vale do Tororó, onde hoje passa a Avenida 23 de maio. Mas apenas em 1930 o primeiro tijolo foi colocado. Neste dia, houve uma

celebração em decorrência do acontecimento, em que compareceu o Arcebispo Metropolitano, D. Duarte Leopoldo e Silva, D. José Marcondes Homem de Mello, bispo de São Carlos e Monsenhor João M. Martins Ladeira. A construção foi entregue à empresa Moya & Malfatti sob a responsabilidade de Francisco de Camillo, e em menos de um ano depois, o Colégio estava pronto para receber seus primeiros alunos.

Em 1931, o Colégio Santo Agostinho inicia suas atividades com o curso Primário, atual Ensino Fundamental. Neste ano, ao todo, foram 36 alunos até o final do ano letivo.

Citação Frei Maciel_Prancheta 1

Em 27 de abril, o Colégio Santo Agostinho, completou 90 anos de história!

História que foi e continuará sendo escrita por toda comunidade agostiniana com muito amor e bons momentos. Não poderíamos deixar de comemorar uma data tão especial, seguindo os protocolos de saúde e segurança, celebramos com parabéns, brigadeiros e muito afeto.

Os brigadeiros, entregues aos nossos alunos e colaboradores, substituíram o abraço que gostaríamos de dar e receber neste momento.

Com dedicação e excelência completamos mais uma década. Feliz 90 anos, Colégio Santo Agostinho!

Santo Agostinho

Vitral Santo Agostinho

Nascido em 13 de novembro de 354, primogênito de Patrício e da cristã acalorada, Mônica, Aurelius Augustinus, mais conhecido como Santo Agostinho, é o padroeiro que nomeia nossa instituição de ensino e inspira nossa inquietude pela transformação e melhoria contínua.

Era natural da província romana de Tagaste de Numídia, localizada ao norte da África. De acordo com sua biografia, foi uma criança alegre, amante da amizade, entusiasta do jogo e vivaz. Santo Agostinho, embora costumasse dizer que “os mestres usavam métodos agressivos e não eram sinceros”, tinha gosto pelo estudo e se entregou com afinco a eles, tornando-se professor de retórica e gramática.

Conta-se que a grande mudança de sua vida se inicia em Milão, em 386. Agostinho ouviu uma voz infantil que dizia: “Toma e lê”, dessa forma, foi estimulado a ler as escrituras. Após esse ocorrido, deixando a docência, retira-se a Cassicíaco, local de paz e silêncio no qual coloca em prática o Evangelho. Neste, preparou-se para ser batizado em 387 por Santo Ambrósio.

Em Tagaste, após a morte de sua mãe, vende suas posses e projeta o seu programa de vida simples: oração, pobreza e trabalho. Ao passo em que vivia sob esses termos, em torno dele crescia um grupo de amizade, por seus dotes naturais e títulos de graça. Assim, Santo Agostinho fundou o Monacato Agostiniano.

Foi proclamado “sacerdote” pelo povo no ano de 391. Cinco anos mais tarde, os cristãos de Hipona o apresentaram para o Episcopado.  Ao ser consagrado Bispo de Hipona, título o qual utilizou em nome do trabalho, não da honra, converteu a sua residência em casa de oração e tribunal de causas.

Santo Agostinho morreu no ano de 430, aos 76 anos. Ficou marcado como um inspirador da vida religiosa, exemplo de simplicidade e bondade. Em vida foi um pastor de almas, defensor da fé e da verdade, bem como um administrador da justiça. Pregou e escreveu de forma diligente, assim, foi importante para a condensação do pensamento de seu tempo e a transmissão deste para o futuro, não é por coincidência que seus ensinamentos ressoam até os dias atuais, inspirando e salvando, com suas palavras, tantos seres humanos.

Fotos antigas

Tutoria

As atividades de tutoria, presentes no CSA há mais de dez anos, agem à luz da filosofia “educar é fazer crescer também o educando como pessoa”. A ação do tutor, deste modo, transpassa as atividades em sala de aula, é uma prática inerente a função docente.

O papel do tutor é mediar a aprendizagem integral, ou seja, contribuir com o desenvolvimento ético e autonomia moral do estudante. Assim, por meio do diálogo e da comunicação – valores inestimáveis para a educação agostiniana – cria-se uma visão ampla das particularidades de cada aluno, suas dificuldades e seus potenciais. As atividades de tutoria moldam uma comunidade educativa que visa à pedagogia crítica, participativa e libertadora.

Deste modo, os tutores procuram programar ações que resultem em superações: pessoais, para o estudante, bem como pedagógicas, para a equipe educativa. Ao longo de tantos anos, tais atividades avançam positivamente, deste modo, colhemos os frutos dessa pedagogia que olha para cada estudante como ser único e com enorme potencial a ser desenvolvido.

Link para download ebook_Prancheta 1

Depoimentos

Link-para-formulário-ex-alunos